quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Organização e padronização de aulas fazem escola de anos iniciais ter bom índice no Ideb

Clique para ampliar
Reuniões semanais para planejar as aulas. Aplicação do EMAI (Educação Matemática nos Anos Iniciais), Ler e Escrever, entre outros programas que fazem parte do Currículo do Estado de São Paulo. Disciplina e muita organização pedagógica. A mistura de todos esses “ingredientes” fez com que a E.E. Joaquim da Fonseca Saraiva, unidade de ensino de Tempo Integral voltada a alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, atingisse percentual de 7,9 no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).

Situada em Santo André, a escola tem em sua organização a grande chave para o sucesso do aprendizado de suas crianças. “Quando as pessoas entram em nossa escola, logo percebem que é uma unidade de ensino diferenciada”, afirma Mikiê Kimoto, diretora da E.E. Joaquim da Fonseca Saraiva. 

“Antes de aplicarmos os programas do Currículo, fazemos uma organização prévia dos materiais. Essa formação acontece durante as Aulas de Trabalho Pedagógico Coletivo (ATPCs), que são realizadas todas as semanas. Esse preparo prévio garante uma boa aplicação do conteúdo na sala de aula”, conta Ederson Igor Ribeiro, coordenador pedagógico da escola. 

Outro diferencial da unidade de ensino é a divisão de aulas dos professores. Educadores que lecionam para alunos do 1º ano, por exemplo, apenas lecionarão para esse segmento. E assim é para todos os outros quatro anos. Cada um em seu respectivo ano, mas com preparo padronizado para que as aulas sigam a mesma linha de raciocínio. “Essa escola é muito organizada. Aqui nós sabemos exatamente qual a lição que vamos trabalhar, a competência, habilidade, etc”, destaca a professora Teresinha Di Martino.

Números gerais 

São Paulo foi o primeiro Estado a ocupar o ranking dos três ciclos avaliados pelo Ideb. De acordo com os resultados, a rede estadual paulista aparece na 1ª posição na análise do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio.

Nos Anos Iniciais (1º ao 5º do fundamental), São Paulo ocupa a liderança isolada da faixa, passando de 5,7 em 2013 para 6,4 em 2015. A média é superior à meta estabelecida pelo Governo Federal para o ano de 2019, que é de 6,3. Nos Anos Finais (6º ao 9º do fundamental), mais uma conquista importante: os alunos da rede estadual paulista avançaram de 4,4 para 4,7.

No Ensino Médio, ciclo que reúne a maior quantidade de alunos da rede estadual e os maiores desafios dos educadores de todo mundo, São Paulo também apresentou crescimento na média. Os estudantes saíram de 3,7 para 3,9.

Veja o vídeo sobre a escola, abaixo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário